O que é o distúrbio da ATM

É comumente qualificada como uma patologia capaz de causar muita dor facial, de forma intensa e crônica. Segundo dados da Associação Dental Americana, mais de 15% dos adultos norte-americanos são acometidos pelo distúrbio da articulação têmporo-mandibular, mais conhecida como o distúrbio da ATM. Já de acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) esse número é ainda mais alarmante. Cerca de 30% da população mundial sofrem da disfunção da ATM, segundo o órgão.

Você sabe o que é o distúrbio da ATM, seus principais sintomas e quais os procedimentos que atualmente podem ser adotados para o seu tratamento?

Reconhecida desde 2002 pelo Conselho Federal de Odontologia como uma especialidade à parte da medicina odontológica, o distúrbio da ATM é compreendido como a disfunção da articulação têmporo-mandibular (DTM). Essa articulação é uma das mais importantes do corpo humano, responsável por fazer a mandíbula ir para frente, para trás e para os lados. Qualquer problema que ocorra com ela, pode gerar o que chamamos de DTM, causando dores na região facial e sensações de que a mandíbula está saltando para fora e fazendo estalos.
Os seus principais sintomas

Por se trata de um problema disfuncional, muitos sintomas e sinais podem ser percebidos pelo paciente. Porem, como se tratam de sintomas que podem também estar presentes em outros problemas da saúde, é importante que o paciente procure seu dentista para realizar um diagnóstico preciso.

Os principais sintomas do distúrbio da ATM são:

  • Dores de cabeça, dores de ouvido, dor e pressão ocular;
  • Dor ao bocejar, ao abrir a boca e ao mastigar;
  • Sensação de que a sua mandíbula está desencaixada ou presa ou travada;
  • Flacidez muscular na região da mandíbula;
  • Fechada brusca no encontro dos dentes superiores e inferiores, sem que você detenha o controle.

Procedimentos que podem ser adotados para o seu tratamento

Graças ao avanço da medicina odontológica, o paciente que sofre com o distúrbio da ATM conta, atualmente, com diversos tratamentos ou técnicas modernas que podem amenizar a disfunção. No entanto, é importante saber que não existe cura. Alguns dos tratamentos e técnicas mais comuns que podem ser adotados são estes:

  • Tentar eliminar a dor ou o espasmo muscular através da aplicação de calor úmido ou através de dosagem de anti-inflamatório ou analgésico ou relaxante muscular ou, ainda, toxina botulínica, no caso de problemas musculares;
  • Aplicar aparelho, como placa de acetada, que tente reduzir o rangimento de dentes, evitando, portanto, que sejam prejudicados. Esse aparelho é feito sob medida para sua boca e trata o bruxismo.
  • Aplicação de terapia para fazer com que o paciente controle a tensão muscular na mandíbula. O dentista pode lhe aconselhar a procurar ajuda especializada para evitar estresse.
  • Caso os tratamentos menos invasivos não surtam efeito, a intervenção cirúrgica pode ser recomendada.

Para o tratamento correto, outros fatores também devem ser levados em consideração, portanto o ideal é que você procure seu cirurgião-dentista para que ele possa recomendar o tratamento mais adequado, de acordo especificamente com o seu caso.

Dra. Debora

Dra. Debora

Endodontia, Estética, Reabilitação Oro Facial, Cirugiã e Dentistica

Faça uma avaliação do seu caso